Anúncio


Identificados os jovens que se mataram após chacina em São Paulo


Dois atiradores – Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos – abriram fogo dentro da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), na manhã desta quarta-feira, 13. Ao todo, oito pessoas foram mortas, sendo cinco alunos, duas funcionárias e Jorge Antônio Morais, dono de uma locadora de carros. Os dois atiradores se suicidaram. O crime aconteceu durante o intervalo entre aulas na escola. Segundo o governo de São Paulo, são nove feridos, divididos entre três unidades de saúde. Com os assassinos, foram encontrados arco e fecha, garrafas de coquetel molotov – arma química incendiária – e machadinhos.

Congressistas da Frente Parlamentar de Segurança Pública, conhecida como “bancada da bala”, não vão recuar na intenção de aprovar a permissão para porte de armas. A avaliação é do líder da bancada, o deputado federal Capitão Augusto (PR-SP), que tenta minimizar tragédia de Suzano na defesa de grupos pró-armas.

“É óbvio que grupos desarmamentistas vão tentar usar essa tragédia para tentar demonizar as armas. Não há legislação no mundo capaz de evitar uma tragédia como essa. Se alguém na escola tivesse uma arma, a história poderia ser outra”.

Fonte: Veja

Postar um comentário

0 Comentários